Páginas

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Você conhece a banda The Kooks?


Encontrei a banda muito por acaso há um tempo atrás e a tinha deixado um pouco esquecida da minha Playlist. Semana passada, revirando minhas pastas antigas de músicas, reencontrei a banda e percebi o quanto eu ainda  adoro o ritmo deles. É um Indie Rock que você ouve hooooras sem perceber e o melhor: Eles possuem músicas calmas, algumas mais agitadas e outras tristes, ou seja: dá pra ouvir a qualquer momento! 
A banda foi formada em Brighton, no Reino Unido, em 2005. O nome foi tirado de uma música de David Bowie, "Kooks", no álbum de 1971, Hunky Dory, e de lá pra cá eles já lançaram três discos pela gravadora Virgin Records. 

Fica a dica para vocês! Para aqueles que se interessarem mais pelos músicos, é possível encontrar mais informações no Site oficial da banda. 





Até a próxima! 

domingo, 19 de janeiro de 2014

Páginas legais para você curtir no Facebook


Redes sociais já são de certa forma parte de nós. Estamos sempre postando, compartilhando, e atualizando todos os feeds possíveis. No  Facebook, existem páginas muitos legais para que você use essa plataforma de um jeito ainda mais interessante, e comece a se entreter mais com novidades, textos e curiosidades do que com frases de efeito e pratos do dia!
Abaixo, segue uma lista que fiz de algumas das páginas que sigo e adoro, espero que gostem e se divirtam também! ( mas só algumas porque curto váarias páginas diferentes. rs.)


O Indiretas é uma página que espalha amor a cada compartilhamento! A ideia é mesmo fazer frases para alfinetar os outros, porém da forma mais positiva possível. Dá para fazer homenagem para os amigos, pro namorado ou se identificar com a frase e deixar na página inicial pra todo mundo saber do que você gosta! Alguns exemplos de publicações por lá foram: “Gente que passa o dia inteiro lendo um bom livro”, “Gente que ama todos os dias como se fosse a primeira vez”, “Gente que não perde uma praia” e por ai vai...


Essa página é um projeto do publicitário Pedro Gabriel, que, em minha opinião, é um grande artista. Ele brinca com as palavras, cria frases lindas que são pura poesia e as desenha num guardanapo, pra depois compartilhar por aí. A forma como as letras são estilizadas e o jeito como você sempre se identifica com o que está escrito é incrível. Hoje, as postagens no facebook já foram parar num livro, lançado pele editora Intrínseca no finalzinho do ano passado, e que está na minha lista de desejos!


Esta é uma página criada por Tiago Yonamine que tem o objetivo de compartilhar palavras desconhecidas e seus significados. A ideia é muito interessante e divertida! Você sabia, por exemplo, que “GiGil”, em filipino, significa vontade de apertar ou beliscar as bochechas de alguém? Ou que “arbejdsglaede”, em dinamarquês, é o mesmo que trabalhar com alegria, felicidade no trabalho?


Essa é uma página indispensável pra quem é curioso, ou para quem adora uma informação diferente. No “Fatos Desconhecidos” você fica sabendo um pouco de tudo em quase todas as áreas possíveis. Nunca vai faltar um assunto numa conversa depois de curtir!

Até a próxima! 

sábado, 18 de janeiro de 2014

Percy Jackson e os Olimpianos: Mais uma série que você não pode deixar de ler




Provavelmente você já deve ter ouvido o nome Percy Jackson em algum lugar e caso não tenha prestado atenção, esse personagem faz parte de uma das melhores séries escritas por Rick Riordan. Os cinco livros contam a história desse menino que descobre, quando novo, que na verdade é um meio-sangue: metade humano e metade herói. Sim, herói, daqueles que sempre aparecem em histórias mitológicas.

Praticamente criei minha própria odisseia para ler todos os livros. Isso porque comprei o primeiro há pouco mais de três anos, na última bienal do livro em que estive presente e só fechei o ciclo em 2013. Fiquei curiosa para ler a história depois de ter visto sua primeira adaptação cinematográfica. Achei o filme divertido e me interessei pelo assunto porque não havia visto mitologia grega sendo abordada de forma tão jovem e leve. Li o livro em pouco tempo e... AMEI! Era tudo mil vezes melhor do que eu imaginava! Terminei querendo ler mais, saber o que ia acontecer com o Percy, porém, com o tempo, acabei não comprando os outros livros e deixei a história de lado.



Tenho chegado à conclusão de que possuo algum problema em terminar séries. Começo a ler e parece que nunca termino (Fico sempre achando que meus livros do Harry Potter ou da Série Fallen jogam essa verdade em mim), e com Percy Jackson só consegui tirar os planos do papel quando ganhei um amigo que é simplesmente louco pela série! Comecei o segundo livro depois dele ter sido emprestado a mim e logo após ganhei o Box de presente no meu aniversário e foi a melhor coisa que podia ter acontecido, porque com os livros na mão a única escolha que você tem é lê-los.


Tá, Gisele, mas aonde você quer chegar com tudo isso?

O que eu preciso compartilhar é quanto essa série é boa! Acho incrível como Rick consegue arquitetar as coisas de forma que cada passo, cada descoberta de Percy e seus amigos desencadeie muitas outras histórias e desafios. Nunca há qualquer informação perdida no ar ou que não vai ser usada ao longo da história. Todos os livros são ligados de forma extraordinária e parecem acompanhar o crescimento de Percy fielmente, o que faz com que o leitor se sinta extremamente próximo ao que está acontecendo.

Humor e aventura também não faltam nessas páginas e ainda há mais: é quase surreal como Rick conseguiu encaixar a mitologia pelo diversos locais dos Estados Unidos. O Olimpo, por exemplo, que é o local habitado pelos deuses, fica localizado no Empire State Biulding, famoso edifício na cidade de Nova York. A criatividade é mesmo imensa.

Como ainda estamos no período de férias, aconselho que coloquem esses livros em suas listas de “tenho que ler”! Infelizmente os filmes possuem muitas diferenças em relação à trama original, por isso ler as aventuras de Percy compensa muito mais do que assisti-las.

Ao final, o divertimento é certo e se você ficar com aquele gostinho de “quero mais” nosso querido herói ainda está presente em mais uma série: Os Heróis do Olimpo, que dessa vez reúne personagens já velhos conhecidos e outros novos numa missão incrível! Mas esses detalhes ficam para outro post, assim que eu terminar a leitura de mais essa aventura.

Até a próxima!


domingo, 5 de maio de 2013

A Culpa É Das Estrelas, por John Green


Editora: Intrínseca    Páginas:288    ISBN: 9788580572261 

É impagável a sensação de terminar um livro MUITO BOM. Chega a ser engraçado como uma mesma obra pode fazer você querer que o fim nunca chegue ou que as páginas passem logo para ficar sabendo qual é o final.

A Culpa É Das Estrelas foi devorado com um gostinho de quero mais. É um livro que tinha tudo para ter uma narrativa pesada e dramática, e que acabou seguindo uma linha exatamente contrária. Sim, os personagens principais têm Câncer e a história é triste, mas John Green conseguiu achar um humor, uma leveza, dentro do mundo de um paciente terminal.

Em resumo, o livro conta a história de Hazel e Augustus, dois adolescentes que se conhecem em um dia que tinha tudo para ser como qualquer outro para a Hazel (em que a mãe dela mais uma vez a obrigar a ir à reunião do Grupo de Apoio) e bem, de cara eles acabaram se interessando um pelo outro e depois que se aproximam, suas vidas não são mais as mesmas.

A grande questão é que a relação deles é diferente: é mais sutil, e parece que conta com um sentimento mais puro, que de alguma forma faz um completar o outro de um jeito muito certo. Dei altas risadas com o humor do Gus, e suspirei infinitas vezes enquanto lia as inúmeras passagens fofas do livro. Senti como se estivesse tão dentro da história, tão apegada aos personagens! É incrível dar risadas e poder chorar por causa de um livro.

Hazel e Gus se aproximam mais ainda quando ele lê um livro pelo qual ela é apaixonada, e esse é uma dos fatos que mais para frente desencadeia momentos incríveis para os dois e para a história. (!) É possível contar ainda com metáforas e ironias para todos os lados, e inúmeras reflexões que fazem com que a gente também pare para pensar um pouco sobre a vida. Pareceu que cada detalhe foi pensado e elaborado com certo carinho, que fez com que tudo se encaixasse perfeitamente.

Chega a ser estranhamente difícil falar da história porque na verdade seria necessário comentar um pouco de todos os capítulos, já que cada um tem algo especial, de verdade. Fiquei surpresa quando o final foi chegando, porque a história começou a andar para um lado completamente diferente daquele imaginado por mim no começo do livro. A verdade é que nunca chorei tanto com uma história e ainda sim senti como se tudo fizesse enorme sentido.

É uma leitura mais do que recomendada, sem dúvida. Esse é um daqueles livros que você só se refere dizendo: “Você tem que ler para saber.

Até a próxima! 

P.S. Não vejo a hora de que o filme baseado no livro seja lançado, e estou igualmente ansiosa para ler outros títulos publicados pelo John Green < 3

sábado, 20 de abril de 2013

A Guerra dos Tronos, por George R. R. Martin



A Guerra dos Tronos foi um livro planejado para aparecer em uma resenha em vídeo, mas quando terminei a leitura, percebi que seria muito difícil conseguir descrever essa história, e acabaria sem ter o que dizer durante a gravação. Isso tudo porque se trata de uma narrativa completamente diferente das quais eu estava acostumada, e que me deixou sem palavras, literalmente.

A história se inicia quando o Rei dos Sete Reinos, Robert Baratheon, decide escolher Eddard Stark, Senhor de Winterfell e seu amigo de infância, para o cargo de “Mão do Rei”, depois que o antigo ocupante, Jon Arryn, morre. Aceitando a proposta, Eddard terá de deixar seu lugar e sua família para trás e o pior de tudo: conviver com os Lannister, a família da Rainha Cersei. Antes mesmo de fazer a sua decisão, Ned descobre, por intermédio de sua esposa, que a morte de Jon na verdade foi planejada, e decide que tem o dever de encontrar as verdades nessa história. A grande questão é que por trás desse, existem muitos outros nós para serem desatados e intrigas para serem descobertas, e será necessário dar um passo de cada vez nessa trajetória.

Adorei a forma de escrever de Martin. Parece que ele leva o leitor a explorar cada detalhe e tirar suas próprias conclusões do que acontece. Cada capítulo recebe um nome de um personagem, o que significa que essas páginas foram destinadas a descrever a história no olhar daquele personagem, o que faz com que cada capítulo termine como se fosse o final do livro, com um gostinho de “quero mais” que faz você continuar passando as páginas sem perceber. Tive a sensação de não estar lendo uma história, e sim, muitas ao mesmo tempo. E se formos parar para pensar, é assim que tudo acontece: a vida dos outros segue além daquilo que seus olhos podem ver. Houve capítulos em que amei um personagem e acabei o odiando nos parágrafos seguintes, me senti como se estivesse fazendo parte desse mundo fictício, ficando com vontade de levar a alguém as notícias e verdades que fui descobrindo no livro.

Criei certo vínculo com alguns personagens, me tornei Team Stark, descobri que Guerra dos Tronos não é uma história de mocinhos e heróis, é uma história de humanos, de homens e mulheres que erram e acertam como todos nós. Acredito que seja um livro que permite que todos tenham uma sensação de leitura diferente, como se disponibilizasse liberdade para que cada um se encaixasse na história seguindo suas próprias maneiras. Um fato importante: Esse é um livro que ou você ama, ou você odeia. Não há meio-termo. Cabeças rolam, relações se desfazem e se reconstroem, será necessário lidar com personalidades completamente diferentes, com a morte, disputas por poder, perdas, tristezas, infinitas surpresas e tudo o que mais for possível imaginar. Diz-se que é sempre necessário permitir-se algo diferente, e o primeiro volume da série “As Crônicas de Gelo e Fogo” é indispensável para quem vem procurando por isso.

Até a próxima!

Editora: LeYa         Páginas: 592          ISBN: 9788562936524



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...